Rei Kawakubo e a anti-moda

Resultado de imagem para comme des garçons exposição

 

Anti-moda é um termo usado para descrever vários estilos de vestuário que são contrários à moda vigente em determinado momento. Criações de anti-moda podem representar indiferença com relação às tendências ou podem surgir de objetivos políticos que colocam a moda em segundo plano.

A designer japonesa Rei Kawakubo, conhecida por seu estilo vanguardista, afirma que fica feliz quando as pessoas “se assustam” com suas coleções. Ela estudou filosofia, arte e literatura, formação que foi determinante para a proposta conceitual de suas peças. Começou a trabalhar como estilista em 1967 após não encontrar uma roupa específica para um editorial. Aos poucos, esse trabalho se transformou em uma carreira, porque Rei não conseguia encontrar roupas que tivesse vontade de vestir, então passou a fazer as suas próprias roupas.

Resultado de imagem para rei kawakubo

Rei Kawakubo é a estilista por trás da “Comme Des Garçons”, marca que criou na década de 1970 e que tem a anti-moda em sua essência, incentivando os consumidores a saírem da zona de conforto. As roupas apresentadas no primeiro desfile da grife na Semana de Moda de Paris, em 1981, desafiavam todas as convenções. Formas desconstruídas, comprimentos irregulares, assimetria e novos equilíbrios de volumes.

As criações da estilista se assemelham com esculturas, com o foco principal muito mais na estrutura do que na superfície. Kawakubo utiliza recursos diversos para transformar a silhueta das mulheres, às vezes afastando-se bastante das proporções tradicionais da moda. Mas suas roupas diferentes, muitas vezes chamadas de “bizarras” sempre atraem os olhares e despertam curiosidade.

senatus_ux1wnd
Rei Kawakubo

Exposição no Metropolitan Museum of Art

Em 2017, Rei Kawakubo e seu trabalho na Comme des Garçons foram tema de uma retrospectiva no Metropolitan Museum of Art. Sob o título de Art of the In-Between (arte do entremeio), a exposição reuniu cerca de 140 peças criadas pela estilista, datando desde seu primeiro desfile em 1981 aos desfiles mais recentes da marca.

Resultado de imagem para rei kawakubo met

Com a mostra, o Museu buscou homenagear a trajetória e o universo único construído pela designer, que a respeito de suas criações disse: “Para que algo seja belo, não precisa ser bonito”. Definitivamente, o trabalho de Rei rompe as barreiras convencionais de beleza, bom gosto e usabilidade na moda.

Em uma entrevista para a Revista Vogue, o curador do Metropolitan, Andrew Bolton, definiu Rei como “uma das estilistas mais importantes e influentes dos últimos quarenta anos,” e acrescentou: “Ao nos convidar a repensar a moda como um lugar de constante re-criação e hibridismo, ela definiu a estética de nosso tempo.

Texto: Isabela Magalhães