Pratique a moda consciente a partir do seu estilo pessoal

A nossa forma de se vestir é construída a partir das nossas referências estéticas, contextos, histórias e uma soma de muitos fatores que podem variar de pessoa para pessoa. Estilo é a maneira como podemos expressar os nossos pensamentos, sentimentos e emoções, resultando em características estéticas que, juntas, fazem parte da construção da nossa imagem como indivíduos singulares.

Compreender o estilo pessoal é uma forma de se conhecer melhor. Por outro lado, quem se conhece e se entende nesse sentido, faz escolhas mais conscientes na hora de decidir o que entrará no seu guarda-roupas, sabendo o que realmente gosta de usar, que fará sentido e terá funcionalidade.

“Moda consciente” é sobre consumir de forma ética e com respeito ao meio ambiente, mas também é sobre se respeitar. Respeitar o seu estilo, seus valores e seus gostos pessoais.

Aqui vão algumas dicas simples para começar a praticar a moda consciente voltando o olhar para você e para o seu estilo:


1- Entenda o seu armário

IMG_7679

Organize seu guarda-roupas, visualize todas as peças e procure entender o que você já tem ali. Qual é o tipo de roupa que você mais usa? E quais são as roupas que ficam sempre encalhadas? O que você tem em excesso?

2- Analise suas roupas favoritas

Observe as roupas que você mais gosta e que fazem você se sentir bem: Quais características elas têm em comum? Pense em quais características são mais importantes para você: é um tipo de tecido? Algum detalhe estético? A cor? A simplicidade? A modelagem diferente? A versatilidade?

3 – Saiba do que você não gosta.

Descubra as características que você não gosta, pensando nos motivos que fazem você não usar ou se sentir desconfortável com alguma peça.

4 – Faça escolhas atemporais:

Na hora de escolher novas roupas, procure adquirir peças que vão durar além daquela temporada, que combinam com o que você já entendeu sobre você e continuarão fazendo sentido quando a tendência passar

Essas são dicas simples, mas eu espero que elas possam te ajudar e inspirar de alguma forma. ❤

 

*A foto de capa desta matéria é do editorial “Natureza e Movimento”, fotografado no primeiro semestre de 2018.

O que é o Slow Fashion?

Mudanças na tecnologia, telecomunicações, globalização e transformações nos métodos de produção estão entre os fatores que provocaram uma progressiva aceleração do tempo desde os anos 1950, fortalecendo a ideia de efemeridade na indústria da moda. Essa indústria, junto com o capitalismo, criou ao longo dos anos um padrão de consumo que tem como base o tripé: baixo custo de produção, rápida distribuição e preços atrativos.

O apelo ao consumo frenético através da lógica do Fast Fashion fez com que sua cadeia produtiva alcançasse um patamar desumano. Tragédias ambientais e humanas causadas pela exploração dos recursos têm feito parte do cotidiano dos noticiários, o que reforça a necessidade de repensar as formas de produção e consumo atuais.

O movimento Slow Fashion congrega um conjunto de pessoas que defendem valores de empatia e ecologia, surgindo contra as formas de produção que visam à eficiência para o crescimento econômico rápido. É também possível encontrar a definição de que o Slow Fashion é um movimento que fortalece a conexão do consumidor com a roupa e com seus designers, incluindo valores de comunidade e diversidade.  

Ao contrário do que pode parecer à primeira vista, a “moda lenta” não é exatamente sobre a velocidade da produção ou do consumo. Esse “lento” do Slow diz respeito muito mais à uma valorização do tempo do que a tomada de um longo tempo para a realização de algo. Baseado no fazer manual, na produção local, na reutilização de peças e na confecção em escala reduzida, o Slow desperta para o consumo consciente de moda. Ao contrário do Fast Fashion, a moda lenta prioriza a qualidade antes da quantidade, valorizando a  moda ética, ecologicamente correta, transparente e criativa.

Larissa Portela usa: vestido feito de refugo nas cores preto, azul, branco, cinza. Bordado na gola com contas azul escuro. Por cima, poncho na cor creme. Anel em um dos dedos. A modelo está com a cabeça inclinada sobre os ombros, olhos fechados.
Larissa Portela usa: vestido Ana Cláudia Vidgal, poncho e anel – Rata de Brechó. Foto: Isabela de Magalhães